Universo, a chave da prosperidade – Conexões e frequências universais

 Universo 02

“Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente

A gente muda o mundo na mudança da mente

E quando a mente muda a gente anda pra frente

E quando a gente manda ninguém manda na gente!”

Esse trecho do artista Gabriel o Pensador na letra de sua música “Até Quando” retrata uma grande verdade universal. A modificação do padrão mental modifica o mundo em sua volta e faz com que um Deus criador não se veja mais como uma criatura.

Algumas consciências possuem a falsa idéia de estarem separadas das outras e do todo. Isso gera uma sensação de vazio nelas e atitudes de ataque face ao mundo. Elas vão querer começar a buscar suas outras partículas, mesmo não tenho conhecimento disto de maneira consciente. Um reflexo disso pode ser percebido na própria internet. Mesmo ela tendo sido criada com fins militares e como uma forma de controle, hoje as pessoas buscam a todo preço estarem conectadas ao mundo e às redes sociais.

Nosso consciente trata em média 2000 bits por segundo, enquanto estima-se que o inconsciente trata 400 bilhões de bits por segundo. Percebam então o tamanho de nossa limitação na percepção consciente da realidade. Imaginem quantas informações recebemos o tempo todo e não percebemos de maneira consciente. Isso justifica a vulnerabilidade da maioria das pessoas às propagandas subliminares.

Então como poderíamos gerar conexões universais e sermos mestres de nossos destinos?

Essas conexões são formas de nos ligarmos conscientemente ao universo e interagirmos com ele. O primeiro  passo para receber as informações do fluxo da Fonte (universo) e também direcionar aquilo que desejam de maneira consciente é diminuindo o controle e os outros aspectos conectados ao EGO para que sua essência consiga se conectar com o fluxo. É preciso estar aberto a ampliar nossa visão e percepção, pois se acharmos que já sabemos tudo (pelo racional) não nos abriremos para saber mais.

Na medida em que a mente se alinha com um pensamento, vai gerando uma frequência em ressonância com o universo. Quando mais alinhado com o fluxo universal, mais nítidas se tornam as sensações de plenitude, felicidade e certeza. Nossas emoções são um excelente indicador de aumento ou de diminuição do nosso alinhamento com o fluxo da Fonte. Quando estamos no fluxo, os pensamentos se alinham com os sentimentos de maneira harmoniosa.

Quando direcionamos algo para a Fonte ou para o universo é essencial a sensação de ser merecedor daquilo que se pede, que se deseja e que se objetiva. Se houver algum sentimento de culpa que faça com que você não se sinta merecedor, você acaba punindo a si mesmo e gerando realidades punitivas. Crescemos numa sociedade onde as pessoas aprendem a não se responsabilizarem pelo que acontece com elas. Apesar de terem um sentimento de culpa, possuem tendência a tentar transferir essa culpa para o outro, na tentativa de se desresponsabilizar. Nesse processo acabam criando uma concepção de um deus que pune e acabam jogando para deus aquilo que elas sentem. Quando crianças, já escutam de seus pais que, se não se comportarem, “papai do céu” ficará bravo com elas. É essencial perceber que em realidade a Fonte não perdoa e nem pune, pois esta nunca o julgou nem o condenou. É a consciência da própria pessoa que se julga, se culpa e se pune. Então cabe a essa mesma consciência se perdoar, pois enquanto a culpa perdura, a pessoa se sente não merecedora. No estado culpado não merecedor, a pessoa se dissocia de sua conexão consciente com o fluxo da Fonte e se submete aos padrões do medo, impostos pelo EGO. A conexão universal com a Fonte (universo) te gera segurança, certeza e amor, diferentemente dos padrões do EGO.

Quanto mais o pensamento é coerente com a ação e com o sentimento, maior é o potencial de concretização do pensamento gerado. Considerando que este é um universo baseado na atração, um pensamento gerado por algo que desejamos ou por algo que não desejamos será visto pelo universo como um pedido a ser atendido do mesmo modo. Sendo assim, não existe pensamento bom ou ruim, certo ou errado. Existem apenas duas coisas:

  1. A atitude, frequência gerada ou pedido (pensamento / sentimento / ação / energia)
  2. A consequência ou resposta do pedido. É importante estar aberto para aceitá-la.

Por exemplo, se precisamos de dinheiro, em vez de se concentrar na abundância e prosperidade vibrando esse pensamento de maneira harmônica para o universo, acabamos muitas vezes nos focalizando na falta do que pedimos, ou seja, na falta do dinheiro e nos motivos pelos quais precisamos dele. Então, por verificação, examine o que você está sentindo e saberá se está sintonizado com o desejo ou com a ausência dele. Perceberá assim se o está realmente atraindo ou repelindo.

Cada um de nós é um Deus criador, possui uma centelha divina e herda as características da Fonte. Sendo assim temos a capacidade de direcionar e concretizar nossos próprios pensamentos. Entender a correlação entre o que se pensa, o que se sente, a atitude coerente e o que se recebe (as consequências) é essencial para direcionarmos nossos caminhos de maneira consciente.

Estando conscientes de nossas emoções e do que elas indicam, temos meios de saber se nossos pensamentos estão no fluxo com a Fonte ou se estão em fase com nosso EGO. Dessa forma teremos consciência de estarmos nos aproximando ou nos afastando da meta ou objetivo desejados. Por exemplo, muitos são aqueles que possuem um desejo e, quando focam nele, vem acompanhado de um sentimento de ansiedade. Isso indica que a pessoa está focada na ausência da meta e não na meta, gerando assim uma vibração de falta.

Importante: A meta deve sempre ser visualizada como se já tivesse acontecido. Por exemplo, se a meta for financeira, nunca se veja precisando de dinheiro ou ganhando o dinheiro. Se veja gastando o dinheiro, pois a meta já foi atingida.

Cada centelha divina é uma fonte inesgotável de energia. Se não recebemos do universo aquilo que direcionamos para ele, nunca é por escassez de recursos, pois a Fonte é infinita e abundante. De alguma maneira, quem formulou a meta não está alinhada com sua própria solicitação. É importante nesse caso verificar a energia, ou seja, coerência vibracional entre pensamento, sentimento e ações.

É preciso acreditar na possibilidade daquilo que desejamos. Se tivermos a sensação de que nosso desejo é inalcançável, a manifestação do mesmo torna-se impossível. Da mesma maneira, quando acreditamos que o desejo é alcançável e próximo, significa que também estamos próximos de sua manifestação física.

A gratidão associada à contemplação colocam as pessoas na frequência do estado de graça, o que facilita e propicia a conexão com o fluxo da Fonte. A comunicação consciente e voluntária com consciências superiores se torna possível quando conseguimos manter o estado de graça. O equilíbrio emocional e a aceleração dos níveis mentais são fatores essenciais nesse processo.

Quando se foca o pensamento em algo, independentemente de ser algo que se deseja ou não, você o está incluindo na sua vibração. Então não dê atenção para coisas que considera negativas para não vibrar na frequência delas.

Mas o que fazer quando já não estou me sentindo bem?

Busque pensamentos que façam com que você se sinta bem. Lembre-se de momentos positivos em sua vida e mantenha-se nesse novo estado emocional.

Um exercício interessante para se exercitar uma nova percepção e o desenvolvimento do poder criador é programar a mente antes de dormir par que você consiga despertar a consciência no meio dos seus sonhos, percebendo que está dentro de um sonho e criando conscientemente dentro do sonho as cenas que você gostaria de assistir. Em seguida você dá a ordem para que você desperte. Ao despertar do sonho, nosso subconsciente vai estar treinado a buscar nosso despertar e a nos ensinar a lidar com as conexões universais.

O processo de Transformação existencial trabalha também sobre todos esses fatores. Se tiver interesse no processo, basta entrar em contato comigo aqui.

Bom treinamento a todos nós.

Obs: Caso se interesse à compreender o que existe por trás desse método simples, leia nosso artigo sobre Alquimia, Cabala e Trindade.

* Texto escrito por Otávio Reis